O QUE VALE UMA BIOGRAFIA? VIDA E FICÇÃO DE CIVONE MEDEIROS* por Rousiêne Gonçalves (Letras/UFRN)

O QUE VALE UMA BIOGRAFIA? VIDA E FICÇÃO DE CIVONE MEDEIROS (fragmento)*
XIV Encontro Nacional da Associação Brasileira de Literatura Comparada (ABRALIC), Belém/PA, 2014

* Este artigo apresentado e publicado nos Anais da XIV ABRALIC (Belém/Pará, 2014) dá início a uma Reflexão de #RousiêneGonçalves sobre o gênero biográfico a partir da sua experiência (impossível) de Biografar a Vida de uma Artista...

Rousiêne da Silva Gonçalves (UFRN)625*
Eduardo Aníbal Pellejero (UFRN)626* 

RESUMO: Espera-se de uma biografia que o relato apresente pistas seguras sobre a vida. Uma realidade que se dobra em outra. Os fragmentos da existência, suas marcas nos lugares, em depoimentos de terceiros, nas entrevistas, em todos os espaços possíveis, constituem o material sobre o qual o autor tentará montar uma experiência real. Porém, escapam a uma coerência, negam-se e afirmam-se mutuamente, prestam-se uns aos outros ao falseamento e à confirmação. Rastro que se dispersa e ainda é rastro. Uma tentativa. Buscamos compreender de que maneira a biografia que se pretende constituir sobre uma poetisa viva apresenta-se, ao mesmo tempo, como uma impossibilidade. Refletiremos à luz dos escritos de Blanchot e Foucault sobre a experiência do fora que, embora distinta nos dois autores, relaciona-se com as experiências da pesquisadora na construção da biografia de Civone Medeiros, a partir de relatos espontâneos de amigos, leitores, artistas e demais pessoas que têm ou tiveram contato com a sua obra e sua vida, ainda, através de documentos, jornais, sites e revistas que apresentem informações e trabalhos da poetisa. Faz-se uma reflexão sobre a escrita biográfica enquanto errância, experiência imediata que, ao mesmo tempo em que revela um passado é ausência deste, que evidencia uma vida, mas não a afirma. Uma ação nômade num deserto que por si já está ausente, ao mesmo tempo, revela a fragmentação do biógrafo enquanto autoridade sobre a existência do biografado. O sujeito que escreve desaparece para dar lugar às infinitas vozes sobre a vida do outro, numa profusão de olhares que, ao chocarem-se e encontrarem-se mutuamente, refratam a existência da autora que se pretende biografar. A biografia enquanto narrativa não autoral, caleidoscópica e, por isso mesmo, não se presta à exclusão e nem à exaustão, mas à multiplicidade.

Palavras-chave: Biografia. Impossibilidade. Ficção. 

1. Introdução: Um texto pode apresentar pistas seguras sobre a vida de alguém? Caso não apresente, podemos considerá-lo biografia? Ao escrever a biografia de Flaubert, Sartre () questiona sobre o que se pode saber de um homem hoje em dia, pois nesta tentativa buscamos totalizar as informações sobre alguém, porém, nada pode provar esta totalização seja possível e que a verdade de alguma pessoa não seja múltipla, ao mesmo tempo, pensar sobre a relação do homem com a obra é algo possível, mas problemático, pois a tentativa não é explicar a vida a partir da arte, muito menos compreender o trabalho artístico a partir da vida, porém, os pequenos fragmentos que, a partir dessa investigação biográfica, levantam questionamentos podem problematizar a obra e assim a arte poderá ter uma dimensão próxima a uma forma de vida.

Neste trabalho, buscamos compreender como a biografia que se pretende constituir sobre Civone Medeiros, poetisa viva, apresenta-se, ao mesmo tempo, como uma impossibilidade. 

Civone Medeiros, antes de publicar poemas, surge como atriz, em 1988, na peça Anjo Maldito, do grupo Teatro Mágico, inicialmente chamado Subgrupo de Teatro, definido pelo diretor, Véscio Lisboa Subhadro como um trabalho anticonvencional. A artista é caracterizada por alguns contemporâneos como alguém que está à frente do seu tempo, por outros, como uma performer com inúmeras aptidões, pelo público e amigos mais jovens como um grande talento da arte contemporânea, também, como uma louca que gosta de chamar a atenção. Fato é que são muitas falas sobre a mesma pessoa, personagem que se espalhou pela cidade através de inúmeras imagens. Quase impossível prever encontros, capturá-la.

Estávamos num bar, no bairro da Ribeira, em Natal-RN, no ano de 2012, quando uma mulher muito bonita, mais ou menos da minha idade aproxima-se e pergunta se sou eu quem vai estudá-la. Após confirmação, grita que está bem perto, tira meus sapatos e num gesto performático beija meus pés. Aquele foi nosso primeiro contato a partir do qual todas as experiências de captá-la pareciam fluidas, pelos encontros que não ocorriam ou mesmo pelo movimento múltiplo da artista, de alguma forma a experiência era em si muito vaga. 

A fotografia me pareceu bastante eficaz, uma vez que poderia, a partir das imagens, constituir um corpo, um conjunto de registros que possibilitassem um recorte minimamente fiel a alguma realidade. A ideia seria relacionar as imagens das performances aos poemas de Escrituras Sangradas, recitados sempre em suas apresentações, observando o que extrapolava o texto escrito, mas nunca poderia a fotografia representar o momento da performance, uma vez captada a imagem da cena, ela já seria outra coisa, uma proliferação de imagens. A fotografia sobre a performance, a performance sobre o texto escrito. Nada a recuperar. 

Escrituras Sangradas foi publicado em 1999, como encarte, com uma tiragem de 100 exemplares, Janaina Spinelli, amiga da artista, apresentou uma performance no dia do lançamento, diz que as páginas foram jogadas para cima pela poetisa e poucos ficaram com o livro inteiro, ela, no entanto, guardou o livro completo por 15 anos. No prefácio do livro, o poeta, professor e crítico literário Bianor Paulino da Costa, afirma: 

Falar sobre a poesia de Civone Medeiros Tönig é se colocar diante do poema moderno e, de imediato, indagar o que seria uma composição poética, pelo menos, tendo em vista a apreensão ou a elaboração da poesia pelo poema. Inspiração ou transpiração. Eis o dilema da poesia contemporânea. É impossível estabelecer um tipo de composição ou um juízo de valor absoluto na poesia hodierna, já até então problematizada por Rimbaud e Mallarmé em suas diferentes estéticas. 627*

Em 2009, publica a segunda edição de Escrituras Sangradas, dez anos depois, a  mesma obra e novos olhares.  João Batista de Moraes Neto 628*, professor e poeta, comenta: ―o texto escrito  sangrado na página, dialoga com a performance, com o corpo solto no texto das ruas, do  cotidiano, do beco, do mundo‖ (MEDEIROS, 2009).

Para Camila Loureiro, navegar entre a poesia de Civone é a experimentação  estética de êxtase e redenção, escreve: ―A sangria dos versos é um fluxo, um orgasmo,  um grito, um rapto, um espasmo do seu ‘devir mulher’ sempre em movimento da contracorrente, do contra sentido e da contracultura [...]‖.

Sua obra é apresentada como uma poética corporal, em que o corpo fala uma lírica apresentada pelo grito, pela transpiração, pelos fluxos, para outros, como uma arte que se espalha pela cidade em pequenos fragmentos, pulverizada. ―Não há nada que me emocione da poesia de Civone‖ afirmam alguns.

2. Diálogos entre vida e arte

A liberdade de Civone Medeiros dialoga com sua arte que, segundo a própria artista, não está dissociada da vida. É relacionada, muitas vezes, à liberdade do corpo. 

Há relatos sobre a sua nudez nas performances, tanto quanto há relatos que afastam a performance da vida. O fotógrafo Lenilton Lima, amigo da artista, afirma que as pessoas sempre colocaram Civone como alguém que tirava a roupa em performances, mas ele nunca viu a artista nua. 629* 

Para Lenilton, muitas pessoas confundem a artista com suas performances e os mais diversos relatos tem relação com a sua sexualidade, sobre tais boatos, ele acrescenta: 

[...] Eu vejo Civone como uma pessoa livre, de, pelo menos ela tenta ser livre, liberta de tudo, mas eu vejo Civone também como uma pessoa careta, tem cosias que Civone me conta que eu não acredito que é de Civone então [...] ela pode até fazer, mas acho difícil pelo que escuto e vejo dela, por que o tipo de liberdade que ela busca não é esse, acho que isso é uma viagem [...]. 

A nudez incomoda, lembra a curadora Sanzia Pinheiro, ao ser questionada sobre algum trabalho impactante da artista. A relação que Civone estabelece com a nudez é algo que está bem presente em seu trabalho e isto não é compreendido pelo público de Natal/RN. Porém, afirma que esta relação é muito natural, apesar de ser motivo de forte incômodo das pessoas. Sanzia conta que, numa performance, a artista se colocou como livro vivo, sobre o qual as pessoas deveriam escrever, algumas ficaram muito incomodadas, e, segundo a curadora, deixaram de perceber o que ela fazia ali. 

Os depoimentos de Sanzia e Lenilton podem inferir que a relação natural com a nudez deixa margem para assombros sobre a atitude sexual da artista, causa choques. O corpo nu de Civone, experimentado no momento da performance, não pode ser resgatado, mas deixa um rastro, quando a imagem é capturada:

O que a Fotografia reproduz ao infinito só ocorre uma vez, ela repete mecanicamente o que nunca poderá repetir-se existencialmente. Nela, o acontecimento jamais se sobrepassa para outra coisa: ela reduz sempre o corpus de que tenho necessidade ao corpo que vejo. 630* 

Esta redução Barthes vai nomear de punctum, o detalhe da imagem, que funciona como detonador do qual pode saltar um ponto de explosão, qualquer coisa que, mesmo à revelia do fotógrafo, é o que detém o olhar. 

Salta o sexo, salta o sangue. Para Sanzia, a arte de Civone é visceral, sobre vísceras a curadora relata um encontro em que a artista, após a sua fala, tira de dentro do vestido um coração de boi e o põe sobre a mesa, o fotógrafo nos diz também de uma performance na qual a artista cortou-se; Maurício, um produtor cultural que também acompanhou Civone durante uma fase de sua vida, nos fala sobre os ―cacarecos‖ 631*, diz que tudo que ela recolhe tem uma força, um valor, qualquer lixo pode ser arte e ao serem dispostos novamente pela cidade têm uma força de preenchimento e assume outra performance, assim, através destas extensões, a artista toma conta da cidade, pulveriza-se, o cacareco é o puncutm do lixo. (...)

Este detonador pode ser encontrado nas biografias, é o detalhe da vida do biografado que salta aos olhos, nada parece interessar mais do que o biografema 632* ‘naquele momento do relato’ uma obstinação. Talvez um biografema seja algo tão ínfimo que seja considerado por um único leitor, mas outro será para alguém num determinado momento, porém, nada ele dirá sobre a artista. Ou dirá algo. O biografema é o detalhe do olhar do escritor e talvez o suplemento do relato de vida, não há pretensão no relato, no depoimento, mas pode surgir em tais histórias algo que chame a atenção e cause, no escritor, um lampejo que o remete à criação de sentidos que não tentam resgatar uma vida, mas gere outros sentidos a partir desta vida. (...)

~~~

* 625 Rousiêne GONÇALVES. Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) rousi_g@hotmail.com
* 626 Eduardo ANÍBAL PELLEJERO. Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) estética.ufrn@gmail.com

* 627 (MEDEIROS, 1999)* 628 As apreciações de João Batista de Moraes Neto e Camila Loureiro estão presentes na segunda edição digital dos dois livros da obra Escrituras Sangradas lançada em 29/10/2009. Disponível apenas em pdf:www.escriturasangradas.blogspot.com e www.issuu.com/civonemedeiros* 629 Lenilton Lima é fotógrafo, produtor cultural, coordena atualmente um ponto de cultura em São Gonçalo do Amarante. Atuou como fotógrafo e militante cultural nos anos 90, ao lado de Civone em diferentes projetos. Define-se como seu irmão afetivo, amigo e grande admirador. * 630 (BARTHES, 1984, p. 51)* 631 Entrevista concedida em 12 de agosto de 2014.* 632 Biografema é o termo criado por Roland Barthes para designar o detalhe da biografia que se torna relevante. O termo foi utilizado em A Câmara Clara, comparado à fotografia em relação á História, porém, foi empregado pela primeira vez em Sade, Fourier, Loyola. 

☼#Tags~#Labels: 
#Abralic #XIVabralic #AnaisAbralic  #RousieneGonçalves #EduardoPellejero #Biografia #Biografema #CivoneMedeiros #PoesiaPotiguar #LiteraturaComparada #CorrentesLiterárias #FluxoSeCorrentesLiterárias #EstudosLiterários #LetrasUFRN #Impossibilidade #Ficção  #Performance #PerformanceArte #VIDAeARTE #ArteVida #ArteComoVida #UFRN #Encontro2014 #Literatura #Blanchot #Foucault #AssociaçãoBrasileiraDeLiteraturaComparada ~www.abralic.org.br/download/apresentacao-encontro-2014.pdf


#FanPage da Poeta Multiartista, Performer, CyberArtivista e Curadora @CivoneMedeiros. Vive em Natal/RN, Brasil e Trabalha no Mundo com Exposições, Arte-Ações e Oficinas Criativas



☼About Me > www.facebook.com/civonemedeiros! Página da Poeta Multiartista, Performer, CyberArtivista e Curadora. Vive em Natal/RN, Brasil e Trabalha no Mundo com Exposições, Arte-Ações e Oficinas Criativas. Contatos via e-mail: civonemedeiros@gmail.com. Em breve, +Divulgação da‪#‎Agenda2015‬ que já se desenha até Novembro, deste. EVOÉ! ‪#‎CiM‬!
GRATIDÃO! GRACIAS, MERCI, DANKE, THANKS às mais de 320 Curtidas Espontâneas que só temos à Agradecer & Celebrar! Com Todo Amor & Afeto, repito: GRATITUDE! E à quem +Venha a Curtir... Curta-CiM... #CiM! GRATITUDE à TOD@S que nos Curtem & Acompanham nossa ‪#‎FanPage‬no ‪#‎FB‬ e ‪#‎Twitter‬!
'Esta é MINHA VIDA. Faço o que amo e o faço com frequência. Se não gosto de algo, mudo-o (...) A VIDA é SIMPLES. Todas as emoções são e podem ser bonitas. Quando como, aprecio cada último pedaço e quando bebo, aprecio cada gota, até a última. Abro minha mente, alma, braços e coração para novas Pessoas, Causas & Coisas (...) Me perder me ajuda a me encontrar (...) A VIDA é CURTA. Vivo meu sonho e minhas realizações E COMPARTILHO as minhas ARTES, poéticas, inventividades, subjetividades, atividades, amor e afeição e minha invenção de sendo, Ser(-me!).' ^C!M
❥+Poéticas ‪#‎comSUMAcivone‬ ➨ e-Loja/Álbum/Galeria >www.facebook.com/media/set/?set=a.10204502799073025&type=1 | Aproprie-se, Curta, Compartilhe, CoLabore, Contagie-se, Declare-se & Se Der(r) AME...

O que e quem inspira a Poeta Multiartista @CivoneMedeiros em entrevista ao Projeto #PertoDistante


Nossa(s) História(s) por nós mesmas... Entrelaçadas ‪#‎MulheresQueInspiram‬@CivoneMedeiros para a Série ‪#‎MulheresInspiram‬ do ‪#‎PertoDistante‬ ~ www.pertodistante.com.br da incrível Myrianna Albuquerque e Tiago Aguiar... AMORES, GRATIDÃO! Estou toda emocionada, arrepiada da tez à alma! GRATIDÃO por esse compartilhar de +AMOR!

Há uma lista, felizmente imensa de mulheres que m'inspiram... Aqui faltou nomes amáveis que na hora 'H' da entrevista não me veio à boca... À fala... Mas que estão na Alma e em meu Coração... Mama Ivone Medeiros, FilhAmada Bianca Medeiros, Tia Maria Dorinha, ‪#‎PalmyraWanderley‬, ‪#‎ZilaMamede‬ ‪#‎AutaDeSouza‬ #DivaCunha, Simone de Beauvoir, TOD@S AMORAS do Coletivo Autônomo Feminista Leila Diniz/Coletivo Leila Diniz, Analba Teixeira, Claudia Gazola, Jo Batista, Paula Salazar, Sandra Kaiouwa Maracanã-Tibete & TANTAS+... EVOÉ, AMORAS!

Quanta Emoção, Honra, Felicidade, Dádiva fazer Arte y pArte dessa Série Linda ‪#‎OqueMeInspira‬ do 'Perto, distante' com Vocês Mulheres Incríveis, Inspiradas e Inspiradoras... Parabéns por toda essa generosa-amorosa empreitada! GO AVANT! AMOR de MUITO À TOD@S!!!#CiM ~ www.facebook.com/CivoneMedeiros!

E nas palavras da Amorosa Myrianna: "E o dia é de muito amor, ainda mais quando ouvimos a fala da maravilhosa e inspiradora Civone Medeiros. Muito obrigada a você por ter nos dado a oportunidade de guardar esse momento neste vídeo e podermos, Tiago Aguiar e eu, compartilhar essa fala inspiradora. Muito amor por amor."

‪#‎DiaDaMulher‬ ‪#‎DiaInternacionalDaMulher‬ ‪#‎PelaVidaDasMulheres‬ ‪#‎AmeAsMulheres‬ ‪#‎14deMarço‬ ‪#‎DiaDaPoesia‬ ‪#‎MêsDaMulher‬ ‪#‎Civone‬ ‪#‎maisAMORporAMOR‬ ‪#‎maisAMORporfavor‬ ‪#‎AmoComoQuemNãoTeme‬ ‪#‎InstaLove #8deMarço #Femininja #RealFeminista  #Civone #CivoneMedeiros 

+
+PERTO, DISTANTE: http://pertodistante.com.br
Mostrar menos

Civone Medeiros e as ArteAções Amorosas, a Artista, a Trajetória

www.facebook.com/civonemedeiros
CIVONE MEDEIROS, 72
Multiartista - Poeta, Performer, CyberArtivista, Produtora Cultural e Curadora. Trabalha com Internet, Artesanias, Cenários, Cinema/Vídeo, Arte-Instalação, Intervenções, Performances, Intermídias e LABoratórios com Vivências Poéticas. Vive em Natal/RN, Brasil e trabalha no Mundo.
www.naredecomcivone.blogspot.com
www.facebook.com/civonemedeiros
www.issuu.com/civonemedeiros
www.twitter.com/civonemedeiros
civonemedeiros@gmail.com
Natal/RN, Brasil

T R A J E T Ó R I A*
Seleção de Exposições, Curadorias, Performances, Residências, Estudos, Projetos e Produções:
www.facebook.com/maisamorporamorJUN/2014 – ❝#maisAMORporAMOR❞ – ArtiVismos com TAGs (Palavras-Chave) AMOROSAS e #ARTISTinRESIDENCE na Usina::Lab& Emporium em Assu-RN - De 14 de Junho a 14 de Julho ~ www.facebook.com/maisamorporamor. Mais uma ArteAção da Série#AmoComoQuemNãoTeme: www.facebook.com/amocomoquemnaoteme;

MAI/2014 – ❝#maisAMORporAMOR❞ – ArtiVismos com TAGs (Palavras-Chave) AMOROSAS na PINACOTECA POTIGUAR/Palácio da Cultura/SECULT-RN – Centro Histórico de Natal-RN - De 28 de Maio a 05 de Julho ~ www.facebook.com/maisamorporamor. Mais uma ArteAção da Série #AmoComoQuemNãoTeme: www.facebook.com/amocomoquemnaoteme;

ABR/2014 – ❝#maisAMORporAMOR❞ – ArtiVismos com TAGs AMOROSAS com Curadoria de Dora Bielschowsky na GaLEEria da Lee Boards -Petrópolis, Natal/RN - De 25 de Abril a 24 de Maio ~ www.facebook.com/maisamorporamor. Mais uma ArteAção da Série #AmoComoQuemNãoTeme: www.facebook.com/amocomoquemnaoteme;
www.facebook.com/ameasmulheres
MAR/2014 – #AmeAsMulheres – Instalação Audiovisual na Coletiva ELAS – 8 de Março, PINACOTECA POTIGUAR/Palácio da Cultura/SECULT-RN – Curadoria de Mathieu Duvignaud, Centro Histórico de Natal-RN - De 8 de Março a 30 de Abril ~
www.facebook.com/ameasmulheres;

MAR/2014 – LIDA POÉTICA: UM AMOR PARA CHAMAR DE SHOW – no #14deMARÇO, Dia Nacional da Poesia da SECULT-RN/Fundação José Augusto, com Ninha Mirra em Lidas Poéticas Cantadas e Faladas Canções de Amor e Vida e Arte como Vida. Galeria do Teatro de Cultura Popular/FJA – Petrópolis, Natal-RN; 

DEZ/2013 – #AmoComoQuemNãoTeme com #CachaçaFilosófica sobre ARTE & VIDA com Sanzia Pinheiro, na Galeria Xico Santeiro/Museu de Cultura Popular Djalma Maranhão, Largo da Ribeira - FUNCARTE-PMN, Natal/RN;

DEZ/2013 – Poéticas #AmoComoQuemNãoTeme no Balaio Café - Expo-Récita & Festim after da REAL Feminista – Residência Artística Libertária Feminista, Brasília/DF;

NOV/2013 – Civone.com\VIDA: UM AMOR PARA CHAMAR DE SHOW – Projeto Diversidade Cultural/FUNCARTE/IFRN, com Poéticas Cantadas e Faladas Canções de Amor e Vida, de Arte como Vida, de Vida como Arte. Beco da Cultura Rui Pereira/Zé Reeira - Centro Histórico de Natal-RN;
www.facebook.com/amocomoquemnaoteme
NOV-DEZ/2013 – #AmoComoQuemNãoTeme – Mostra de Poéticas e Arte Contemporânea – Curadoria de Sanzia Pinheiro, Produção de Dora Bielshowsky, Nalva Melo e Rosane Felix - Galeria Xico Santeiro/Museu de Cultura Popular Djalma Maranhão, Largo da Ribeira - FUNCARTE-PMN, Natal/RN  (www.facebook.com/amocomoquemnaoteme);

NOV-DEZ/2013 – REAL Feminista – Residência Artística Libertária organizada pelo CFEMEA e Universidade Livre Feminista do Brasil, Brasília/DF;

Out/2013 – Abertura do Show de Lançamento do EP do GATO LÚDICO, Teatro Alberto Maranhão, Natal-RN, Brasil;

Out/2013 – Circuito GRUDE de Intercâmbio Nacional em Arte e Intervenção Urbana, Brasil;

Ago/2013 – Palestra na XI Cachaça Filosófica - Auto Poiésis & Neo-Feminismo, Mercado Cultural de Petropólis, Natal-RN, Brasil;

Maio/2013 – ‘nA JAGUARARI CASARTÍSTICA’ - Abertura do #LAB com Vivências Poéticas ~ Espaço Cultural Permanente em Parceria com Renata Marques e Rosane Felix, Natal/RN (www.facebook.com/najaguararicasartistica); 
Maio/2013 – 1ª EXPOGRAFITTI – Coletiva de Arte Urbana com Curadoria de Ricardo Nelson e Marcelo Veni - Galeria da FUNCARTE-PMN, Natal/RN;

Mar/2013 – “CHÃO de ESTRELAS - Intervenção Urbana no BECO da LAMA de NATAL/RN;
Mar/2013 – BARDALLOS POÉTICO ~ 14 de Março, Dia Nacional da Poesia - Organização/Parceria com Antonio Nahud Junior, Bardallos Comida e Arte, Centro Histórico, NATAL/RN;
Mar/2013 – Projeto Vivas Mulheres – ARTE por PERTO, Centro Histórico de Natal/RN;

Dez/2012 - POETICaÓTICA❞ - Instalação composta por poéticas misturas de elementos sonoros e visuais (músicas, imagens, falas e ruídos). Artistas do Coletivo ICAP – Instituto Cultural Audiovisual Potiguar: Paulo Lima, Civone Medeiros, Bruno Alves, Raquel Sales e Gianni Allan Duarte na 6ª edição do Goiamum Audiovisual, IFRN Cidade Alta, Natal/RN;

Out/2012 – Performance ‘THE PERFORMER is PRESENT’ na Semana de Artes Visuais do DEART/UFRN, Natal/RN;

Jul-Out/2012 – (in)VERSO A DEUS – Coletivo InCriado | Performance nos Vernissages da Mostra “Paixão de Espinho em Altar de Pedra” de R. Veriano – em Caicó e Pau dos Ferros/RN;
Jun/2012 – Intervenções e Poéticas em Varal 'comSUMAcivone' na CÚPULA dos  POVOS, Rio+20, Rio de Janeiro/RJ; 

Dez/2011 – "VÉU em SOLO, Sertão Central" – Ensaio Fotográfico do Coletivo SOLARES mostrando o universo masculino e feminino da mulher sertaneja – encarnada na pele, corpo e alma de Civone Medeiros - dentro de um contexto surreal, cheio de sonho e psicodelia. Contamos sobre a força, a delicadeza e o drama desta mulher vestida de sonhos. Nesta expedição fotográfica "A NOIVA" é a figura que está representada nos cenários poéticos e geográficos de Lajes do Cabugi na PINACOTECA POTIGUAR-FJA, Natal/RN (www.facebook.com/ColetivoSolares);

Jul/2011 – CiVernética #2 | Performance, Café Salão Nalva Melo (Circuito Ribeira), Natal/RN.
Jul/2011 – “VARIETÉ” | Apresentação do Espetáculo do Circo Tropa Trupe, Natal/RN;

Jun/2011 – CiVernética #1 | Performance, FATERN, Natal/RN;

Mai/2011 – "AMOR CRÔNICO (APPENDIX)" | Protagonista do Curta de 6' com Roteiro e Direção de Renata Pyrrho, Natal/RN;

Abr/2011 – Curadoria da Mostra “Paixão de Espinho em Altar de Pedra” de Ricardo Veriano – Galeria Newton Navarro/FJA, Natal/RN;
                  – (in)VERSO A DEUS – Coletivo InCriado | Performance no Vernissage da Mostra “Paixão de Espinho em Altar de Pedra” de R. Veriano – Galeria Newton Navarro/FJA, Natal/RN;
Abr/2011 – Intervenção Urbana “Mulheres Livres” no Congresso Nacional/DF no programa artístico do II ENAMB – Encontro Nacional da Articulação de Mulheres Brasileiras com o Coletivo Leila Diniz (RN), Brasília/DF;

Fev/2011 – Formatação e Pré-Curadoria da Mostra/Acervo de Ricardo Veriano – “Paixão de Espinho em Altar de Pedra”;

Dez/2010 – Coletiva “Dezembro/Presente” | Casa Vermelha/UnP com as obras ARS PRECARIUS #1;

Nov/2010 – Curadoria da Conexão - Natal/ICAP – Instituto Cultural Audiovisual Potiguar e Co-Produção do FlipAut, Praia da Pipa/RN;

Out/2010 – Ocupação BenTeVi – Residência de Artistas, Recife/PE;
Out/2010 – Toque de Colher Poemas | Recital na Ribeira, Natal/RN;

Set/2010 – Tributo à Janis Joplin, Ensaio Fotográfico para a Campanha “Nalva Faz Minha Cabeça” sob as lentes de Flávio Aquino e Produção Geral de Nalva Melo Para ver+ > @cafesalao: www.cafesalao.com/nalva-faz-minha-cabeca-07-com-civone-medeiros.html;

Out/2009 – Relançamento do Livro de Poemas Escrituras Sangradas #1 e Lançamento das Escrituras Sangradas #2 nos 15 anos do Café Salão pela Coleção POeTIGUARES [ICAP] +www.escriturasangradas.blogspot.com – versão digital: www.issuu.com/civonemedeiros;

Set/2009 – Lançamento da Coleção #POeTIGUARES de Artesanias Poéticas #MODE’RN ❝comSUMAcivone❞ em diversos suportes tais como Flâmulas em Retalhos/Patches, Cartões, Pôsteres, Camisetas, Eco-Bolsas, etc.  – Natal/RN;

Ago/2009 – Cenário para show da cantora potiguar Khrystal – Galpão Ribeira, Natal/RN;

Mai/2009 – 8 de MAIO – MEMÓRIA, coletiva de arte contemporânea, com a obra PRIVATESFERA, ou a VIDA ÍNTIMA de CIVONE... (vídeo-instalação, 2006-2009), Curadoria de Sanzia Pinheiro - Galeria de Artes da Funcarte, Av. Câmara Cascudo, 423 - Ribeira, Natal/RN;
 Intervenção #1 maio2009 - VEIAS ABERTAS DA CIDADE (disseminada entre ruas da Ribeira, Cidade Alta e Passo da Pátria), Natal/RN;
 Intervenção #2 maio2009 - CALÇADA DA FAMA (localizada entre as ruas João Pessoa e Ulisses Caldas, na Cidade Alta), Natal/RN;

Mar/2009 – Mostra DA PERMEABILIDADE DO BELO, 8 de Março, com a obra VULV'ARS POÉTICA, curadoria de Sanzia Pinheiro - Galeria de Artes da Funcarte, Av. Câmara Cascudo, 423 - Ribeira, Natal/RN;

Jan/2009 – PROSPECTA, Conexões Visuais/FUNARTE, participação no Projeto coordenado por Sanzia Pinheiro, realizado em parceria com a FUNCARTE, Natal/RN;

Set/2008 – Ministrante da Oficina PERFORMARE #2 na „I Semana de Artes Visuais da UFRN‟, no DEART, Natal/RN;

Mai/2008 – 8 de Maio/Dia do Artista Plástico, Coletiva da FUNCARTE com a Instalação ODE À XANANA, Natal/RN; Ministrante da Oficina PERFORMARE #1 no CMAI/FUNCARTE, Natal/RN; Lançamento da Plataforma Virtual PERFORMARE de pesquisas acerca da Arte da Performance (www.performare.blogspot.com);

Mar/2008 – DENCIDADE, Conexões Visuais/FUNARTE | participação no Projeto coordenado por Sanzia e Sayonara Pinheiro, Natal/RN;

Dez/2007 – ARTE à TROIS | Mostra Coletiva de Artes Visuais, Allan Talma, Civone Medeiros e Goulven Jagot; apresentação de Sanzia Pinheiro - Café Salão Nalva Melo, Natal/RN;

Nov/2007 – LIVROCORPOCIVONE/BIO GRAFIA (Artista como Livro, uma Performance) na Mostra ESCRITURAS E EXISTÊNCIAS de LIVRO de ARTISTA / LIVRO OBJETO, organizado por Sanzia Pinheiro/FUNCARTE como programação paralela ao ENE (Encontro Natalense de Escritores), Galeria Calígula, Ribeira - Natal/RN;
Nov/2007 – Curadoria e Concepção do Catálogo do XI Salão de Artes Visuais da Cidade do Natal da FUNCARTE, Natal/RN;

Out/2007 – ARTE à TROIS Curadoria e participação na Mostra Coletiva de Artes Visuais com Allan Talma e Goulven Jagot; apresentação de Sanzia
Pinheiro. Bardallos Comida e Arte, Centro Histórico, Natal/RN. Estréia de ARTE à TROIS – O filme! Natal/RN;

Jun/2007 – Protagonista do Documentário-Ficção, CAPOEIRA dos NEGROS, Dir.: Carlos Tourinho, Roteiro: Geraldo Cavalcanti, Natal/RN;

Mar/2007 – Idealização e Produção do Documentário PRIVATESFERA – A vida Íntima da Mulher;

Fev/2007– Idealização, Produção e Finalização do Documentário 14 de Março / Todo Dia, Dia da Poesia em parceria com o ICAP (disponível no www.youtube.com/civone);

Fev/2006 – Protagonista no curta-metragem “MARROM” (Emanoel Grilo e Nando Lucena), Natal/RN;

Mar/2006 – Polifonias do Feminino | Mostra Coletiva da Capitania das Artes/FUNCARTE, Natal/RN;

Mai/2005 – “com.FUSÃO” | BricollAssembllages [work in process] e participação no Assentamento Cultural do M8M na Mostra PANORAMA 0.8 no espaço ANDAIME e na Pinacoteca do Estado com diversos artista potiguares e de outros estados brasileiros - Natal/RN;

2003-2005 – “ECCE FEMME” | Arte-Sacra-Vulva-Instalação itinerante-mutante com diversos suportes e mídias, esta obra conta com várias exposições em galerias e espaços públicos do RN/Brasil e Viena/Áustria e tem a característica de se adaptar e experimentar com os ambientes/sítios e entornos onde acontece sua montagem;

Mar/2004 - 14 de Março – Lançamento dos pôsteres “Ecce Femme”& “Civênus” e diversos flyers com imagens e poemas das “Escrituras Sangradas” – Natal/RN;

Mai/2002 – “SACRA VULVA #01” | Assemblages & Instalação com diversas mídias no „Festival SOHO in Ottakring“ na coletiva UNTEN DUCH com os artistas austríacos Kurt List e Thomas Sandri em Viena/AT – Essa Mostra resultou em um Curta-metragem do cineasta Christian Wittmann, intitulado: “Civone, Kurt & Thomas – EIN PORTRAIT” [A, 2002, 50 Min];

Ago/2001 – “Aberto Coração” | Performance, Cultura Alemã - Natal/RN;

Jul/2001 – “O Livro de Theta” | Livro de Artista (Objetos- Foto- Instalação) sobre viagem à Grécia no Solar Bela Vista - Natal/RN;

Jun/2001 – “Civone & Cuore – Performance Fragments” | Curta-metragem(C-Digital), Câmera & Cut by Marko Doringer/Filmfabrik Vienna;

Mai/2001 – Curadoria da Mostra "Geisterwandel" de David Müller-Abt – WUK Projektraum, Viena/AT;
                – "Geistertanz – Dança dos Espíritos" | Performance no Vernissage de "Geisterwandel"de David Müller-Abt – WUK Projektraum, Viena/AT;

Jun/2000 – Projeto/Missão Cultural “ARTE da ESQUINA do BRASIL” ~ Idealização e Curadoria de Civone Medeiros, que desencadeou o Festival “Brasil 2000” na WUK - Werkstätten und Kulturhaus, Viena/Áustria; “BRASIL 2000” foi uma Co-Produção de "WUK International", "Verein FOR ART" e “Projeto Arte e Cultura da Esquina do Brasil (Civone Medeiros/ICAP e Conceição Lima - Natal/RN)” ~ www.brasilien.cultureworks.at + www.wuk.at/brasil2000, Viena/Áustria;

Out/1999 – “ESCRITURAS SANGRADAS” | Lançamento de Poesias em forma de encartes – Natal/RN (Edição independente);

Abr/1999 – “Poética & Pictórica” | 1ª Mostra Individual na Galeria Nalva Melo Café Salão, Ribeira - Natal/RN;

Fev/1998 – “GUERRA E PAZ” | Produção Executiva da Maior Escultura-Instalação em Sucata do Mundo - Intervenção Urbana de Guaraci Gabriel, Via Costeira Km 01/Natal-RN - A obra foi contemplada pelo Guinness Book of Records - Londres 2001;

1995-1997 – “LILITH” | Performance, parte da Mostra "OVO de EVA" de Henrique José, Natal/RN;

1994 – “Entre o Sonho e a Carne” | Atuação no curta-metragem, baseado em poema de E. A. Poe, Dir. Sérgio Oliveira-Natal/RN;

1991 – “SÓ, 1,2,3,4,5...” | Video-Arte experimental (S-8 NTSC), Produção coletiva / OXENTE: Dir. Guaraci Gabriel & Sayonara Pinheiro, Atuação & Texto: Civone M. Tönig - Natal/RN;

Out/1989 – “O QUE VIRÁ?” | Intervenção coletiva / OXENTE na XX Bienal de São Paulo/SP;

Ago/1989 – "Respiração, impacto da inconsciência" | Instalação coletiva / OXENTE, FLAAC - Festival Latino-americano de Arte & Cultura – UNB/Brasília/DF;

1988-1991 – "ANJO MAL DITO" | Atriz e RP do Grupo TEATRO MÁGICO, Dir. Swami Amrita Subhadro/Vércio Lisboa, Natal/RN;

1986-1990 – Estudos e Espetáculos de Ballet Clássico e Dança Contemporânea na EDTAM – Escola de Danças do Teatro Alberto Maranhão, Natal/RN;


* Atualização em Junho/2014






AMO COMO QUEM NÃO TEME - Mostra de Poéticas Contemporâneas de Civone Medeiros



APRESENTAÇÃO

       A exposição AMO COMO QUEM NÃO TEME transita entre a Literatura e as Artes Visuais.  É um site specific* que conta com uma vídeo-instalação, dois painéis constituídos de poesias e imagens impressas em tecido, sendo um painel colorido e outro branco que cobrem integralmente as paredes laterais da Galeria Xico Santeiro do Museu de Cultura Popular Djalma Maranhão. A artista numa atitude risomática estende a exposição ao Largo Dom Bosco/Pátio da Praça Augusto Severo, através de Varais Poéticos (poesias impressas em tecido). São sete obras que compõe a exposição – tornando-se uma única obra/instalação: o PoeManta, Ofertório Coração, AmorAção, PoemMantra Sonora, Chão de Santinhas e Varal Poético mais a Cartografia dos Afetos, numa parceria com o premiado fotógrafo mineiro radicado em Nata/RN, Morvan França. A Cartografia dos Afetos é uma série fotográfica com os Corações Impressos da artista e é uma participação especial em transparências fotográficas sobrepostas no painel PoeManta.
            Civone Medeiros é Poeta e Artista e escolheu imprimir em pedaços de tecido de pequeno formato para tornar sua produção mais acessível às pessoas, assim o trabalho entra em suas casas e vidas e passam a fazer parte do cotidiano individual e coletivo.  Desde o fim da década de 80 a artista desenvolve pesquisa aproximando poesia e imagem. No seu processo criativo, a imagética do coração se transforma em gestualidade do corpo artístico, poético e político.
            O projeto AMO COMO QUEM NÃO TEME oferece como contrapartida o LAB com Vivências (Laboratório Criativo de Convivência) que consiste em Oficinas de Estamparia e Protagonismo Poético dirigido ao público visitante da Exposição. O caráter e peculiaridade experimental e laboratorial como proposta educativa-interativa complementar a exposição, destina-se a formação de professores-multiplicadores de saberes e a estudantes de ensino médio e superior, através de dinâmicas lúdicas e colaborativas onde todos opinam e contribuem com o processo e possibilita que novos públicos enxerguem a Arte e a Literatura por um viés apaixonado e próximo de suas vidas.
* O lugar, o site, o situs, o sítio específico é o ‘isto’ que acontece no espaço e para ele. Embora caiada pelo modernismo e, atualmente, pelo que se denomina pós-modernismo, a obra-para-o-lugar é o provável fundamento do estar-da-obra, sejam as cavernas de outrora, a parede, o espaço público e cívico e com bastante frequência atualmente, as salas dos museus e galerias. Se todas as obras são feitas para lugares, para sítios, algumas delas referendam essa abertura, propondo-se ser o destino e polo irradiador como seu Locus Poético.
Imagem inline 2

FICHA TÉCNICA

Curadoria:
Sanzia Pinheiro

Produção: 
Nalva Melo
Rosane Felix
Dora Bielschowsky

Assessoria de Imprensa:
Antonio Nahud Jr

LAB com Vivências/Mediação:
Thiago Medeiros
Alessandra Augusta
Efigênia Oliveira
Civone Medeiros 


Sonoplastia e Edição de Imagens:
Paulo Lima (ICAP)

Realização:
ICAP – Instituto Cultural Audiovisual Potiguar

Parcerias:
Casa Artística nA Jaguarari
Café Salão Nalva Melo
Coletivo Sobre-A-Mar
Coletivo Records
Jocil Decorações
Tropa Trupe/Renata Marques
Bardallos Comida e Arte
Bar da Meladinha

Contatos/Informações:
Sanzia Pinheiro – 9423-8098 – aranha.asa@gmail.com
Nalva Melo – 8861-9616 – nalvamel8@hotmail.com

Work in Process/Fan Page no FaceBook:



» http://civonemedeiros.tumblr.com
 ICAP - Instituto Cultural e Audiovisual PotiguarRua Carlos Serrano, 2052 - Lagoa Nova - CEP 59.076-740
Natal-RN | institutoculturalpotiguar@gmail.com | [84] 3206-0313


Textamento d'Amor: Demasiada & Humanamente Atualizando & m'Apropriando do H.Hesse


❤ » 'Quanto mais envelheço, quanto mais insípidas me parecem as pequenas satisfações que a vida me dá, tanto mais claramente compreendo onde eu devo procurar a fonte das alegrias da vida. Aprendi que ser amada não é nada, enquanto amar é tudo (...).

O dinheiro não é nada, o poder não é nada. Vejo tanta gente que tem dinheiro e poder, e mesmo assim são infelizes. A beleza não é nada. Vejo homens e mulheres belos, infelizes, apesar de sua beleza. Também a saúde não conta tanto assim. Cada um tem a saúde que sente. Há doentes cheios de vontade de viver e há sadios que definham angustiados pelo medo de sofrer.

A felicidade é amor, só isto. Feliz é quem sabe amar. Feliz é quem pode amar muito. Mas amar e desejar não é a mesma coisa. O amor é o desejo que atingiu a sabedoria. O amor não quer possuir. O amor quer somente amar.'

^Hermann Hesse pour moi, C!V ~ www.naredecomcivone.blogspot.com